RIO CEARÁ-MIRIM – A AGONIA DE UM MARCO HISTÓRICO I
 

 

RIO CEARÁ-MIRIM – A AGONIA DE UM MARCO HISTÓRICO I

Professora Magnólia Rosana da Silva

 

O rio Ceará-Mirim nasce na Serra de Santa Rosa, conhecida popularmente por Serra do Feiticeiro, no município de Lahjes do Cabugi, este percorre cerca de 150 km até desaguar suas águas no Oceano Atlântico, na localidade de Barra do Rio.

No seu nascedouro, é conhecido como rio Dois Irmãos, onde a sua fisionomia continua original, o solo é do tipo arenoso, típico de rio, mesmo pertencendo a um solo rochoso do tipo cristalino da era pré-cambriana.

Dando continuidade do seu curso o rio Ceará-Mirim segue para Pedra Preta onde este recebe o nome de rio Salgadinho, dando seguimento para o município de Jardim de Angicos, seguindo, assim, para João Câmara, onde recebe o nome de Beira do Rio e segue para Bento Fernandes  conhecido por Rio Bodogodó, no seu andamento segue para o município de Poço Branco onde suas águas são represadas, formando a barragem Engenheiro José Batista do Rego Pereira. Continuando com seu curso, este segue para o município de Taipu, onde forma um aspecto de um pequeno córrego.