Padre Jorge O'Grady de Paiva
 
 

CEARAMIRINENSES ILUSTRES - III

(Praticamente esquecidos)

Padre Jorge O'Grady  de Paiva

O pesquisador mossoroense Geraldo Maia encontrou uma pequena nota publicada numa coluna de jornal dando conhecimento da morte do padre Jorge O'Grady  de Paiva, ocorrida na cidade do Rio de Janeiro, onde o mesmo morava. A nota diz também que o padre O'Grady era membro da Academia Norte-rio-grandense de Letras e do Instituto Histórico e Geográfico do RN.  Era teólogo e filósofo, além de profundo estudioso de Ciências.   Jorge O'Grady de  Paiva era natural de Ceará-Mirim/RN, onde nasceu a 26 de maio de 1909.  Sacerdote, educador e cientista de conceito internacional, com uma longa folha de serviço prestado à educação em  Mossoró/RN pela eficiência e sábia orientação que conseguiu impor como dirigente do centenário Colégio Diocesano Santa Luzia, cargo esse assumido em 1935 permanecendo até 1944., quando mudou-se para Natal, onde recebeu de dom Marcolino Dantas, bispo diocesano, o título de "Cônego" honorário como prêmio dos seus valiosos trabalhos a bem da instrução e da diocese de Mossoró.  O padre O'Grady passou seus últimos anos residindo no Rio de Janeiro. Escritor e autor de vários livros, dentre os quais destacamos: "Verdade e Vida", "Na Seara das Letras, da Fé e da Ciência", "Dicionário de Astronomia e Astronáutica" (2ª edição), "Prédicas e Miniprédicas" e "Nos Domínios das Letras e da Ciência".  Membro do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte e da Academia Norte-rio-grandense de Letras, onde ocupava a cadeira que já havia sido ocupada pelos cônegos Leão Fernandes, Luiz Monte, além de dom Adelino Dantas.  O cearamirinense padre Jorge O'Grady de Paiva, tem sua foto afixada na  galeria de ex-diretores do Colégio Diocesano Santa Luzia em Mossoró. Através de sua obra,  tornou-se imortal da literatura potiguar;  e suas ações como pessoa,  sacerdote e  educador, tornaram-se inesquecíveis  nos corações de tantos quantos tiveram o prazer de desfrutar da sua amizade.

Escrito por Blog CHAMINÉ às 04h53