Memoria popular
 

(Veja mais na sessao fotos)

ADEUS A MEMÓRIA POPULAR EM CEARÁ-MIRIM. SERÁ? 
 

As comunidades de Umburana e Trigueiro estão desaparecendo do mapa do Município de Ceará-Mirim. Com ajuda de máquinas, estão “deletando” árvores, casas, rios... A memória popular. A cultura ceará-mirinense está ficando mais pobre. O meio ambiente está ficando mais triste. A degradação que está sendo praticada pela Usina São Francisco vai causar a morte de vários animais... Racionais e irracionais. As casas dos moradores estão sendo derrubadas. As mangueiras, cajueiros, umbuzeiros centenários, todos no chão... Deitados sem vida. O patrimônio arquitetônico também é alvo da tirania em questão. As casas dos antigos moradores poderiam ser recuperadas, como fez o proprietário do Engenho Verde Nasce, Herbert Dantas Júnior (última foto) e transformadas em “quiosques” nos quais seriam expostos produtos de artistas da nossa terra, passariam a compor o roteiro turístico rural. Lá, nessas duas comunidades, estão localizados vários tesouros arquitetônicos, que fazem parte da nossa história recente: a Casa Grande do Engenho Trigueiro, construída em 1910 e Casa Grande do Engenho Umburanas, a antiga Capelinha com seu cemitério de anjinhos. Sem contar com a Escola Municipal Nalva Xavier (na qual fiz o primário). Penso que nós, que tanto amamos esta cidade e a sua História, podemos fazer alguma coisa para impedir o crime cometido contra nossos filhos e netos... O de não poder ver parte do nosso passado. È nossa a responsabilidade! 

Francisco Navegantes.