Dicas de Saude
 

 

Anorexia e Bulimia

Anorexia e bulimia nervosa são distúrbios alimentares resultantes da preocupação exagerada com o peso corporal, que pode provocar problemas psiquiátricos graves. São transtornos que se manifestam principalmente em mulheres jovens, embora sua incidência esteja aumentando também entre homens. Às vezes, os pacientes anoréxicos chegam rapidamente a um grau extremo de desnutrição e o índice de mortalidade chega a atingir 15% a 20% dos casos.

Sintomas da anorexia:

- perda exagerada de peso em curto espaço de tempo sem nenhuma justificativa;
- recusa em participar das refeições familiares. Os anoréxicos alegam que já comeram e que não estão mais com fome;
- preocupação exagerada com o valor calórico dos alimentos;
- interrupção do ciclo menstrual, com ausência de menstruação e diminuição das características femininas;
- atividade física intensa e exagerada;
- depressão, síndrome do pânico, comportamentos obsessivo-compulsivos;
- visão distorcida do próprio corpo. Apesar de extremamente magras, essas pessoas julgam-se com excesso de peso;
- pele extremamente seca e coberta por lanugo (pêlos parecidos com a barba de milho).

Sintomas da bulimia:

- ingestão exagerada de alimentos em curtos períodos de tempo sem o aumento correspondente do peso corporal;

- vômitos auto-induzidos por inversão dos movimentos peristálticos ou colocando o dedo na garganta;
- uso de laxantes e diuréticos indiscriminadamente;
- dietas severas intermediadas por repentinas perdas de controle que levam à ingestão compulsiva de alimentos;
- distúrbios depressivos, de ansiedade, comportamento obsessivo compulsivo, auto-mutilação.

Causas:

Diversos fatores favorecem o aparecimento dessas doenças: predisposição genética, o conceito atual de moda que determina a magreza absoluta como símbolo de beleza e elegância, a pressão da família e do grupo social e a existência de alterações neuroquímicas cerebrais, especialmente nas concentrações de serotonina e noradrenalina.

Tratamento:

Na anorexia, a reintrodução dos alimentos deve ser gradativa; muitas vezes é necessária a internação hospitalar para que a oferta de calorias seja controlada por nutricionista; não há medicação específica para esses transtornos. O tratamento exige o acompanhamento de equipe multidisciplinar composta por médicos, psicólogos e nutricionistas. Não se conhecem métodos eficazes de prevenção – seria necessário um empenho da sociedade na mudança de certos valores estéticos ligados ao culto do corpo e à magreza.

 IMPORTANTE

 

 

 

AIDS

 

Combate ao Preconceito e ao Estigma”

Transformar o 1º de dezembro em Dia Mundial de Luta Contra a Aids foi uma decisão da Assembléia Mundial de Saúde, em outubro de 1987, com apoio da Organização das Nações Unidas - ONU. A data serve para reforçar a solidariedade, a tolerância, a compaixão e a compreensão com as pessoas infectadas pelo HIV/aids. A escolha dessa data seguiu critérios próprios das Nações Unidas. No Brasil, a data passou a ser adotada, a partir de 1988.

O preconceito e a discriminação contra as pessoas vivendo com HIV/aids são as maiores barreiras no combate à epidemia, ao adequado apoio, à assistência e ao tratamento da aids e ao seu diagnóstico. Os estigmas são desencadeados por motivos que incluem a falta de conhecimento, mitos e medos. Ao discutir preconceito e discriminação, o Ministério da Saúde espera aliviar o impacto da aids no País. O principal objetivo é prevenir, reduzir e eliminar o preconceito e a discriminação associados à aids. O Brasil já encontrou um modelo de tratamento para a Síndrome de Imunodeficiência Adquirida que hoje é considerado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) uma referência para o mundo. Agora nós, brasileiros, precisamos encontrar uma forma de quebrarmos os preconceitos contra a doença e seus portadores e sermos mais solidários do que somos por natureza. Acabar com o preconceito e aumentar a prevenção deve se tornar um hábito diário de nossas vidas.

O que é Aids:

Uma deficiência no sistema imunológico associada com a infecção pelo vírus da imunodeficiência humana HIV –

(Human Immunodeficiency Virus), provocando aumento na susceptibilidade a infecções oportunísticas e câncer.

Transmissão:

- o vírus HIV pode ser transmitido pelo sangue, sêmen, secreção vaginal, leite materno;
- relações sexuais homo ou heterossexuais, com penetração vaginal, oral ou anal, sem proteção da camisinha, transmitem a aids e outras doenças sexualmente transmissíveis e alguns tipos de hepatite;
- compartilhamento de seringas entre usuários de drogas injetáveis;
- transfusão de sangue contaminado;
- instrumentos que cortam ou furam, não esterilizados;
- da mãe infectada para o filho, durante a gravidez, o parto e a amamentação.

Tratamento:

Atualmente a terapia com os chamados “anti-retrovirais” proporciona melhoria da qualidade de vida, redução da ocorrência de infecções oportunísticas, redução da mortalidade e aumento da sobrevida dos pacientes. (Os anti-retrovirais são medicamentos que suprimem agressivamente a replicação do vírus HIV).

Dados:

Desde o início da década de 80 até dezembro de 2002, o Ministério da Saúde notificou
257 mil 780 casos de aids no Brasil. Desse total, 185 mil 061 foram verificados em homens e 72 mil 719 em mulheres. No ano de 2002, foram notificados 9.495 novos casos da epidemia e, desses, 6.031 foram verificados em homens e 3.464 em mulheres, mostrando que, atualmente, a epidemia cresce mais entre as mulheres.

Fique sabendo:

A aids não é transmitida pelo beijo, abraço, toque, compartilhando talheres, utilizando o mesmo banheiro, pela tosse ou espirro, praticando esportes, na piscina, praia e, antes de tudo, não se pega aids dando a mão ao próximo, seja ele ou não soropositivo.

Fonte:
-
Programa Nacional de DST e Aids do Ministério da Saúde.

 

 

 

 

Câncer

A Comissão para a Saúde Pública da União Européia lançou um conjunto de medidas de prevenção contra o câncer, baseado em 12 mandamentos.

- São eles:

1 - Não fumar, ou abandonar o cigarro;
2 - evitar a obesidade;
3 - fazer exercícios todos os dias;
4 - comer frutas e verduras diariamente;
5 - moderar o consumo de álcool, dois copos por dia para os homens e um para as mulheres;


6 - evitar o sol forte, principalmente crianças e adolescentes;
7 - evitar a exposição a agentes cancerígenos, como o amianto;
8 - procurar o médico se notar qualquer ferida na pele, perda de peso, tosse e mudança dos hábitos intestinais e urinários;
9 - mulheres com mais de 25 anos devem fazer visitas freqüentes ao ginecologista;
10 - mulheres com mais de 50, a mamografia é recomendada;
11 - homens e mulheres com 50 anos ou mais, o exame do reto também é uma prevenção importante;
12 - todos devem se vacinar contra a hepatite B, para proteger o fígado.

 

Diabetes

Diabetes mellitus ocorre quando há falta de insulina ou ela não atua de forma eficaz, causando um aumento da taxa de glicose no sangue (hiperglicemia). A insulina é produzida pelo pâncreas e todos nós precisamos dela para que nosso corpo funcione bem e possa utilizar a glicose (açúcar) como principal fonte de energia. Quando não tratado, pode acarretar perda da visão, insuficiência renal, problemas cardíacos, entre outros. Além de dieta e exercícios físicos, o tratamento inclui a aplicação de doses de insulina para restabelecer as concentrações normais de açúcar no sangue.

Tipos de Diabetes:

Tipo 1 - Geralmente ocorre em crianças, jovens e adultos jovens e necessita de insulina para o seu controle;
Tipo 2 - É o tipo mais freqüente de Diabetes, aparece geralmente após os 40 anos de idade.

Sinais e Sintomas:

A doença só se manifesta pelo aparecimento de vários destes sinais e sintomas, ao mesmo tempo:
- urinar muitas vezes e em grande quantidade durante o dia e à noite;
- sede exagerada;
- excesso de fome;
- obesidade ou perda de peso;
- piora da visão;

- furúnculos freqüentes;
- cicatrização difícil e infecções de pele;
- familiares diabéticos;
- impotência sexual;
- desânimo e fadiga fáceis (cansaço);
- pressão arterial alta.

Prevenção e controle:

A melhor maneira de prevenir e diagnosticar o diabetes é por meio do exame periódico de sangue, a fim de verificar seu nível de glicose. Pessoas com antecendentes familiares da doença estão mais propensas a desenvolvê-la. Somente o médico poderá prescrever medicamentos e fornecer as informações necessárias para que o diabético tenha uma vida normal e sem as complicações decorrentes da ausência de tratamento.

Dicas importantes:

- o exercício físico é importante para o diabético por duas razões: ajuda a perder peso e aumenta a eficiência da insulina;
- uma alimentação equilibrada é aquela que contém todos os nutrientes: carboidratos ou açucares, proteínas, gorduras, sais minerais, vitaminas, fibras vegetais e água;
- os diabéticos têm motivos muito especiais para cuidar de seus pés - níveis elevados de glicose no sangue por um longo tempo podem levar à perda da sensibilidade e dificuldade na circulação do sangue nos pés do diabético. Com isso, pode não sentir queimaduras, cortes e machucados, facilitando o aparecimento de infecções que, por sua vez, interferem no bom controle do diabetes.

 IMPORTANTE

 

 

Hipertensão

A hipertensão arterial ou pressão alta, é uma doença que ataca os vasos sangüíneos, coração, cérebro, olhos e pode causar paralisação dos rins. Ocorre quando a medida da pressão se mantém freqüentemente acima de 140 por 90 mmHg. Essa doença é herdada dos pais em 90% dos casos, mas há vários fatores que influenciam nos níveis de pressão arterial, entre eles:

- fumo, consumo de bebidas alcoólicas, obesidade, estresse, grande consumo de sal, níveis altos de colesterol, falta de atividade física;
- além desses fatores de risco, sabe-se que sua incidência é maior na raça negra, aumenta com a idade, é maior entre homens com até 50 anos, é maior entre mulheres acima de 50 anos, é maior em diabéticos;

Sintomas:

Os sintomas da hipertensão costumam

aparecer somente quando a pressão sobe muito: podem ocorrer dores no peito, dor de cabeça, tonturas, zumbido no ouvido, fraqueza, visão embaçada e sangramento nasal.

Prevenção e controle:

A pressão alta não tem cura, mas tem tratamento e pode ser controlada. Somente o médico poderá determinar o melhor método para cada paciente, mas além dos medicamentos disponíveis atualmente, é imprescindível adotar um estilo de vida saudável:

- manter o peso adequado, se necessário, mudando hábitos alimentares;
- não abusar do sal, utilizando outros temperos que ressaltam o sabor dos alimentos;
- praticar atividade física regular;
- aproveitar momentos de lazer;
- abandonar o fumo;
- moderar o consumo de álcool;
- evitar alimentos gordurosos;
- controlar o diabetes.

 

 IMPORTANTE

  •  Somente um médico pode diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. 

Créditos: Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde

 

 

 

 

 

CAMINHADA

Vantagens
- Melhora a circulação e a atividade do coração, além da diminuir os riscos de problemas cardíacos.
- Reduz gorduras localizadas e é excelente para quem é sedentário e quer começar um programa de exercícios.
- Com a caminhada, o risco de lesão é pequeno, já que a atividade é de intensidade baixa.

Riscos
- Os riscos da caminhada são quase que inexistentes. Mas eles podem aparecer se a pessoa não tiver acompanhamento médico ou o ritmo da caminhada for pesado.
- Os batimentos do coração não podem ultrapassar 75% a 80% da freqüência normal.
Observação: para calcular a sua freqüência cardíaca ideal, os médicos costumam recomendar usar a fórmula: 220 - idade = freqüência cardíaca total (100%). Na dúvida, consulte um médico.
- Uma pessoa sedentária corre mais riscos que uma pessoa ativa, tanto na caminhada como em outras atividades físicas.

Período mínimo para fazer efeito
- De três a cinco vezes por semana, 30 minutos ao dia.
- Para quem estiver começando, o ideal é alternar um dia de descanso com um dia de exercício.

Gasto calórico médio
- De 200 a 400 kcal/hora
Observação: A queima das gordurinhas depende do sexo, idade, metabolismo e condicionamento físico da pessoa.

Quem deve fazer
- Todas as pessoas, das mais diversas idades, desde que tenham passado por uma consulta médica.

Dicas do especialista
Nunca passe dos limites de seu corpo. O trabalho físico deve ser feito em um período longo e o ritmo da caminhada, aumentando de acordo com os progressos da resistência física. Não deixe de usar roupas leves e um tênis macio. Beba líquido antes, durante e depois da caminhada. Se quiser comer alguma coisa antes, dê preferência às frutas, sucos e vitaminas. Outros alimentos podem pesar no estômago.
Ronaldo Martinelli (Professor responsável pelo Depto. de Treinamento de Corrida e Esportes de Aventura da academia Runner)

 

Como combater a dor de cabeça

 

 Ao contrário do que algumas pessoas pensam, a enxaqueca não é apenas resultado de predisposição genética. Ela é provocada por uma associação entre o fator genético e agressões do meio ambiente. Para que haja uma crise, é preciso que existam causas externas, como estresse, excesso de gordura na alimentação, bebidas alcoólicas, sedentarismo, poucas horas de sono ou até mesmo excesso de medicamentos contra dor de cabeça.
Outra causa comum é a tensão nervosa, que pode provocar dois tipos de cefaléia: a enxaqueca e a chamada ‘cefaléia tensional’. Esta segunda é o tipo mais comum de dor de cabeça. Provocada pela contração dos músculos da parte posterior da cabeça e do pescoço, ocorre habitualmente depois que a causa da tensão acabou.
Dificilmente os problemas de visão, como miopia, hipermetropia ou astigmatismo, podem causar cefaléia. Quando ocorre, normalmente é uma dor que aparece depois de um esforço visual constante durante longo período, localizada na nuca e de forma latejante.
Quando surge uma crise de dor de cabeça, a primeira providência a ser tomada é identificar sua origem. Portanto, é importante consultar um médico para que ele avalie a gravidade e as causas de sua dor de cabeça. Tratando as causas, certamente haverá melhora dos sintomas.
Estresse, cansaço, poucas horas de sono, flutuações hormonais (incluindo o ciclo menstrual), mudanças bruscas de temperatura, luzes brilhantes, cheiros fortes, barulhos e emoções intensas são causadores de dor de cabeça em algumas pessoas. Durante as crises, procure relaxar num local silencioso e escuro. Use medicamento se as sugestões acima não fizerem efeito. Consulte seu médico a respeito de quais medicamentos você deve manter em casa.

Algumas medidas podem ser tomadas para evitar dores de cabeça:

  • Uma alimentação correta é muito importante: não fique sem se alimentar por longos períodos, prefira verduras e frutas, evite o excesso de condimentos e faça refeições leves antes de dormir;
  • Tome muita água;
  • Evite álcool e refrigerantes;
  • Evite o cigarro;
  • Faça exercícios regularmente;
  • Procure dormir de acordo com suas necessidades;
  • Fique longe de fumaça ou perfumes fortes;
  • Evite estimulantes, como café, chá, chocolate e refrigerantes;
  • Evite tensões e causas de estresse.

Seguindo essas recomendações, as dores de cabeça serão menos freqüentes e menos intensas.

 

 

Fonte: www.py2gea.com.br/saude%20e%20cia/como_combater_a