CEARÁ-MIRIM ONTEM - CINEMA
 

CEARÁ-MIRIM ONTEM - CINEMA

                                          

O extinto Cine Paroquial de Ceará Mirim, que pertencia a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, gerenciado por Lúcio Som, exibiu grandes sucessos do cinema, por exemplo: Romeu e Julieta, Candelabro Italiano, Love Story, O Rei dos Reis, Os 10 Mandamentos, todos os sucessos de Bruce Lee, A Dama do Lotação, Lúcio Flávio o passageiro da Agonia, O Trem Pagador, e mais,  muito mais.

O sucesso do Cine Paroquial se completava porque antes das exibições o frequentador do cinema ficava aguardando o inicio da sessão ouvindo uma ótima seleção de músicas nacionais e internacionais, muitas vezes alguns sucessos eram solicitados diretamente pelo assistente. O Juiz de Direito Dr. Altanir, que residia na praça Barão de Ceará Mirim, era um dos  ouvintes cativos, todas as noites, principalmente dos sucessos internacionais que tocavam nas discotecas etc.etc....

Segundo Lúcio, suas amizades  aumentaram em Ceará Mirim, depois que tomou conta da gerencia do saudoso Cine Paroquial, do qual sente muita saudade. Com amizades que Lúcio tinha em Natal e Recife, conseguia trazer muitos sucessos que só eram exibidos nas capitais. Muitos  filmes recebia via Cine Rio Grande/Natal, que incluiu o Paroquial em suas programações, ajudando assim na redução dos custos de fretes e material de propaganda, ou recebendo direto das distribuidoras sediadas em Recife.

Os filmes de Teixeirinha,  foram exibidos  quase todos, porém o de maior sucesso foi O Coração de Luto, que tornou-se tradição no dia de finados. Era casa cheia, todas as vezes, chegando até exibir três sessões contínuas. Muitos entravam e saiam chorando do cinema, e o carro de som só parava de tocar a musica que dava título ao filme:  Coração de Luto (o maior golpe do mundo, que eu tive na minha vida...  ) quando começava a sessão.

Tempo bom de quando as maiores diversões da cidade eram, cinema, jogo no Palácio dos Esportes e no Estádio do Centro, parque de diversão ou uma noitada no CEC nos finais de semana. A turma se programava: no sábado fazia hora na sorveteria e em seguida ia ver o filme no Paroquial, depois novamente sorveteria. No domingo: missa na Matriz, assistir filme no Paroquial e para encerrar a noitada ir ao Centro Esportivo e Cultural. Lúcio conclui os depoimentos no fórum da Comunidade do orkut afirmando: “a gente era feliz e não sabia”.

Escrito por Blog CHAMINÉ 20 de maio 2007