Ôba, o lixão é nosso !
 

Ôba, o lixão é nosso !

            Não sei que  carma é esse, cisma  de não vir desenvolvimento pra Ceará-Mirim. E mais, o que vem é justo o avesso do desenvolvimento. Somos o quintal da grande Natal, isso mesmo, herdamos a incumbência de guardar o resto da sociedade. Tudo o que não presta dos outros guardamos no nosso município, mais precisamente no lixão. Caro amigo, convido você a se preocupar comigo sobre o nosso futuro, pois vejo que as coisas estão um tanto quanto sem rumo. Não sentimos nenhuma boa mudança até agora com a chegada do lixão ( ou aterro sanitário, como preferem outros!). Nos prometeram vantagens em contrapartida à chegada do lixão, alegando que o dito traria empregos à nossa população e haveria uma maior arrecadação para o município. Eu te pergunto: você sabe quanto se arrecada com o lixão? Qual a benesse para a nossa cidade? Pois é, nem eu sei  !!!  Há , e não estou sendo ingrato : as carretas e caminhões que transportam o dito lixo enfeitam nossa paisagem,  aumentam o já congestionado trânsito da BR 406 ( você não percebeu quando foi a Natal?),  desgastam o asfalto com maior rapidez,  “perfumam” nosso horizonte com odores exóticos, atraem animais ( os belos mosquitos em revoada, que vez por outra se chocam em nosso pára-brisa!), enfim, tumultuam nossa vida ! Nossa paisagem se transformou, o  litoral não tinha montanha até então, agora tem e em franco crescimento, notou? E o nosso lençol freático, está sendo protegido? A lagoa de Extremoz, nossa fonte de água,  é bem perto do lixão. Que garantias podemos ter?

                     A coleta e destinação do lixo é um dos problemas da sociedade moderna e deve ser tratado com bastante responsabilidade. Hoje o lixo já é tratado como  fonte de riqueza, a partir da compostagem, reciclagem ou com a produção e comercialização de gás. Aqui, ao contrário, o gás produzido é desperdiçado, chegando gratuitamente aos nossos lares, sem custo algum. Para os menos desavisados o gás produzido a partir do lixo é altamente prejudicial para a camada de ozônio.  Já notou a fragrância  que invade nossas casas em noites frias ? Pois é, imagine o chorume,  liquido proveniente do lixo, que pode contaminar   as águas superficiais e subterrâneas quando infiltrado no solo. O que nos resta fazer? Será que a secretaria de meio-ambiente está atenta às atividades no dito aterro sanitário? Pois é cidadão, levante-se, procure um meio de também fiscalizar, pois uma certeza temos, o prejuízo será de todos !!!

                         

                           Por Alexandre Leocádio

                       e-mail: leocadiocd8@hotmail.com